Educação em ciência, tecnologia, engenharia e matemática versus metodologias colaborativas no ensino superior: desafios, oportunidades e limitações

Alfiado Victorino

Resumo


Este artigo avalia os desafios, oportunidades e limitações, da implementação da educação em Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM), no contexto moçambicano, tendo em vista o seu potencial na promoção das metodologias participativas. Usando o método de revisão bibliográfica, o artigo analisa os desafios, oportunidades e limitações, que a introdução desta prática impõe na promoção das metodologias participativas na educação moçambicana. Os resultados obtidos mostram, por um lado, desafios e limitações que se situam a vários níveis: na formulação da política educativa, na estrutura curricular, nas infra-estruturas e na formação do corpo docente; por outro, sugere que o STEM oferece algumas oportunidades para resignificar o acto e ensinar/aprender, conducentes ao incremento da qualidade e da relevância do ensino. A sua implementação em território escolar, por via da aprendizagem por projectos, ou por resolução de problemas, sugere que esta prática pode ser um instrumento valioso na promoção das metodologias colaborativas no processo de ensino/aprendizagem, contribuindo, deste modo, para uma melhoria da prática educativa na escola moçambicana. No entanto, a sua transposição e aplicação, no contexto moçambicano, deve ser feita de forma crítica, respeitando as especificidades socioculturais da sociedade moçambicana, por um lado, e explorando os pontos fortes do atual sistema nacional de educação, por outro.

 

Palavras-chave: Educação em STEM; metodologias colaborativas; Moçambique.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.