Actividades diferenciadas no ensino superior: práticas e desafios dos docentes

Felipe André Angst, Almeida Gomundanhe

Resumo


A atribuição de actividades diferenciadas aos estudantes é uma estratégia didáctica que visa essencialmente promover a educação inclusiva no ensino superior, e é um acto que estimula a diferenciação pedagógica. Daí que, com o presente artigo pretendemos reflectir sobre as práticas e desafios da promoção das actividades diferenciadas no ensino superior. Para a elaboração deste artigo, optamos por trabalhar com docentes, estudantes do curso de Licenciatura em Ensino de Química e com a direcção pedagógica da Universidade Rovuma - Extensão de Niassa. Metodologicamente, optamos pelo estudo de caso, com uma abordagem qualitativa, suportada pela pesquisa bibliográfica. E, como técnicas de recolha de dados usamos entrevistas semiestruturada e em grupo focal, e análise de conteúdo, o que nos facilitou a acção de analisar e interpretar os resultados.  Para a fundamentação teórica recorremos a autores como Nhangumbe et al. (2017); Pacheco (2011); Tomlinson (2008) e Heacox (2006). Os resultados evidenciam que os professores do curso de Química não diversificam os exercícios e as avaliações, de acordo com as necessidades específicas de aprendizagem de cada estudante, embora, abordem os conteúdos usando estratégias diferenciadas. 

 

Palavras-chave: diferenciação pedagógica; actividades diferenciadas; didáctica.


Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.