EDUCAÇÃO DE ADULTOS, IDENTIDADE CULTURAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL EM MOÇAMBIQUE

Cristovao Francisco Anselmo

Resumo


O artigo é resultado de uma investigação feita na Zambézia, Moçambique, com 250 estudantes que frequentam a educação de adultos. Objectivamente, analisa a actual situação do binómio relacional analfabetismo-pobreza extrema da sociedade moçambicana procurando causas remotas e imediatas; propõe, no fim, um contributo estratégico em educação de adultos em quanto indicação prática e operativa em vista ao desenvolvimento. O trabalho seguiu a metodologia mista, combinando abordagens qualitativas (25 estudantes entrevistados, cinco em cinco escolas) e quantitativas (250 estudantes submetidos ao questionário, cinquenta em cada escola) numa amostra casual representativa e proporcional proveniente de cinco distritos da Zambézia. Requisito: estudantes submetidos à educação de adultos. Hipótese de partida: "Quanto mais a educação de adultos inclui os elementos de identidade cultural, tanto mais essa contribui para a eliminação do analfabetismo-pobreza extrema e favorece o desenvolvimento local nas zonas rurais em Moçambique". Tanto das análises das narrativas textuais quanto das estatísticas, a partir da hipótese, concluímos: a educação de adultos ligada à identidade cultural traz desenvolvimento local nas zonas rurais, contrariando, analfabetismo-pobreza extrema e dependência de pacotes financeiros estrangeiros como o Plano de Acção para a Redução da Pobreza Absoluta (PARPA).


Palavra-chave: Educação de adultos; Identidade cultural; Desenvolvimento local; Zonas rurais; PARPA.



Texto Completo:

PDF

Apontadores

  • Não há apontadores.