Desempenho de uma Estacão de Tratamento de Águas Residuais Moçambicana na Remoção de Poluentes

Dirceu Feijão

Autores

  • Universidade Católica de Moçambique

Palavras-chave:

Efluentes domésticos, ratamento de águas residuais, eficiência

Resumo

Os centros urbanos em crescimento geram elevada procura de recursos. A pressão que este crescimento provoca nos recursos obriga a uma gestão cada vez mais eficiente dos meios existentes.  Este trabalho avalia a   eficiência da Estação de Tratamento da Águas Residuais do Songo através da caracterização do efluente e respetiva verificação do desempenho da estação quanto à remoção de poluentes, fazendo uma análise comparada da normalização prevista pelas leis moçambicanas (Decreto no 18/2004) e portuguesas (Decreto-lei no 236/98). Este artigo é   baseado na colheita de amostras de água em quatro pontos da estação durante 10 dias. As análises físicas, químicas e do efluente realizadas no laboratório da Hidroeléctrica de Cahora Bassa apresentaram como resultados valores no efluente bruto abaixo daqueles tipicamente encontrados em efluentes domésticos, com excepção dos níveis de nitrogénio total e amoníaco. Portanto, no que diz respeito ao efluente tratado, os valores enquadram-se nos padrões recomendados pela lei.  De forma geral, a Estação de Tratamento das Águas Residuais do Songo demostra alto desempenho na remoção de poluentes nos níveis de tratamento, provando, assim, ser eficiente em toda estação. Contudo, estes resultados não retiram importância a uma verificação continua da eficiência deste tratamento.

Ficheiros Adicionais

Publicado

10-11-2022

Artigos Similares

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

<< < 11 12 13 14 15 16 17 18 19 > >>